Blog sobre Arqueologia no vale do rio Itapocu. Criado com a finalidade de estudar e preservar o material arqueológico existente na região que abrange todo o vale do rio Itapocu, incluíndo a catalogação e conservação de acervos particulares e sítios arqueológicos ainda existentes (cerâmico, lítico, abrigo sob rocha, etc...). Todas as peças fotografadas neste blog (não foram usados escalas), são em sua maioria oríundas de descobertas aleatórias e fortuitas de seus detentores. Com este trabalho, se pretende criar em breve um Museu de Arqueologia do Vale do Itapocu pra preservar a história dos primeiros habitantes da nossa região (Homem do Sambaqui, Itararés e Guaranis). A comercialização de qualquer material arqueológico no Brasil caracteriza crime previsto em lei. Esta pesquisa será incluída no documentário e livro: Redescobrindo o Itapocu.

Observações: O idealizador deste blog e sua pesquisa sobre arqueologia não tem vínculos com órgãos públicos reguladores e fiscalizadores (FUNAI, IPHAN), instituições acadêmicas e também não participa de qualquer grupo ativista e político indigenista!

Legislação sobre arqueologia no Brasil se encontra nos links ao lado: Link 1 ou Link 2

Visite tambem o blog:
Caminho do Peabiru - Ramal Santa Catarina

Proposta da criação de um Museu de Arqueologia do vale do Itapocu no colegiado de cultura da AMVALI.

Proposta da criação de um Museu de Arqueologia do vale do Itapocu no novo colegiado de cultura da AMVALI (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu) no último dia 04 de abril de 2017. Link de acesso a matéria na imagem da foto.

Programa Cidade em Ação (06/07/2016) - TV Cidade de Joinville / SC.

Redescobrindo o Itapocu - Documentário Completo

quinta-feira, 14 de março de 2013

Acervo particular do Sr. Aldo em Corupá - SC.


Datação das peças: Desconhecida

Tradição: Itararé

Este acervo particular se encontra com o Sr. Aldo que mora na localidade de Bompland em Corupá - SC. O mesmo encontrou estas peças líticas dentro de sua propriedade que fica na encosta do morro onde se encontra a nascente do ribeirão Bompland. Dentro do acervo, se encontra três amoladores de pedra, parte de um machado de pedra, uma espécie de faca de pedra com dois gumes entre as extremidades e uma mão de pilão (todas os artefatos em sua maioria feitos de granito e arenito). Parte das peças foram encontradas no próprio ribeirão Bompland enquanto que outras peças foram encontradas em diferentes locais dentro de sua propriedade. Também foram encontrados espalhados em seu sítio fragmentos ou cacos de cerâmica, mas que de momento o mesmo não possui guardado em seu acervo e a princípio não se tem indicativos de que o local seria um sítio lítico ou cerâmico. A origem deste acervo parece se tratar da tradição Itararé, contudo, nas propriedades vizinhas que ficam também no Bompland e Osvaldo Amaral, existem comprovações arqueológicas da presença tanto da tradição Itararé quanto Guarani nestas duas localidades. Uma curiosidade do local é que no cume do morro que fica dentro da sua propriedade, existia vestígios de um caminho antigo (trilha) que seria atribuído aos índios que habitavam a região. Alguns pesquisadores atribuem o vestígio como sendo o Caminho do Peabiru no início da serra do mar em Corupá. Porém, atualmente com a criação do pasto no local, os vestígios no cume (valeta seca) praticamente se apagaram em decorrência da exposição ao tempo (erosão). A única coisa que se tem certeza do ponto de vista arqueológico, é que a trilha fazia ligação entre o ribeirão Bompland com outros sítios arqueológicos na localidade vizinha de Osvaldo Amaral (ribeirão Osvaldo Amaral e ribeirão Cobra) também em Corupá. Coincidência ou não, o local onde foram encontradas os artefatos de pedra, coincide na melhor topografia do vale do rio Itapocu com o provável itinerário do caminho do Peabiru no início da subida da serra do mar na cidade de Corupá - SC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário