Blog sobre Arqueologia no vale do rio Itapocu. Criado com a finalidade de estudar e preservar o material arqueológico existente na região que abrange todo o vale do rio Itapocu, incluíndo a catalogação e conservação de acervos particulares e sítios arqueológicos ainda existentes (cerâmico, lítico, abrigo sob rocha, etc...). Todas as peças fotografadas neste blog (não foram usados escalas), são em sua maioria oríundas de descobertas aleatórias e fortuitas de seus detentores. Com este trabalho, se pretende criar em breve um Museu de Arqueologia do Vale do Itapocu pra preservar a história dos primeiros habitantes da nossa região (Homem do Sambaqui, Itararés e Guaranis). A comercialização de qualquer material arqueológico no Brasil caracteriza crime previsto em lei. Esta pesquisa será incluída no documentário e livro: Redescobrindo o Itapocu.

Observações: O idealizador deste blog e sua pesquisa sobre arqueologia não tem vínculos com órgãos públicos reguladores e fiscalizadores (FUNAI, IPHAN), instituições acadêmicas e também não participa de qualquer grupo ativista e político indigenista!

Legislação sobre arqueologia no Brasil se encontra nos links ao lado: Link 1 ou Link 2

Visite tambem o blog:
Caminho do Peabiru - Ramal Santa Catarina

Proposta da criação de um Museu de Arqueologia do vale do Itapocu no colegiado de cultura da AMVALI.

Proposta da criação de um Museu de Arqueologia do vale do Itapocu no novo colegiado de cultura da AMVALI (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu) no último dia 04 de abril de 2017. Link de acesso a matéria na imagem da foto.

Programa Cidade em Ação (06/07/2016) - TV Cidade de Joinville / SC.

Redescobrindo o Itapocu - Documentário Completo

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Provável sítio de sepultamento raso na localidade de Rio Natal em São Bento do Sul - SC.


Datação do local: Desconhecido

Tradição: Itararé

Este provável sítio de sepultamento raso fica na localidade de Rio Natal (próximo ao Morro da Igreja) em São Bento do Sul - SC. O local é pouco conhecido pelos moradores da própria localidade, porém é chamado pelas poucas pessoas que já ouviram falar do lugar de "cemitério dos bugres"! O local fica dentro de uma propriedade particular e para se chegar lá se utiliza uma trilha íngreme até certo ponto onde próximo da beirada desta se encontram três montes de terra que estão separados um do outro aproximadamente cinco metros de distância e forma entre eles um ângulo triangular, mostrando que não se trata apenas de uma coincidência da natureza e sim de que o local sofreu interferência humana! Dos três montes de terra avistados e catalogados (em especial da foto acima que mostra ser o maior deles), foram cavados recentemente por tatus e um deles quase perdeu sua forma de monte de terra em decorrência da erosão. Algumas conversas que tive com moradores próximos (um deles me levou até o local), afirma que ali próximo chegaram a morar há mais de cinquenta anos atrás outros moradores, podendo assim haver questionamentos se o local poderia ter sido utilizado como um cemitério improvisado entre eles, mas o antigo proprietário do lugar que herdou a propriedade de sua falecida avó, esta teria relatado para terceiros que sua família adquiriu esta propriedade cerca de cem anos atrás e ao fazer as roças (quando era criança) encontraram pela primeira vez estes montes de terra, desmsitificando a hipótese de que o local tivesse alguma interferência direta de algum morador que veio morar nas imediações muitos anos depois da chegada deles! Outros fatos que reforçam que o local se trata de um provável sítio de sepultamento raso é que o antigo proprietário teria achado nas imediações alguns materiais líticos como pontas de flecha, por exemplo, e ainda teria encontrado um abrigo sobre rocha com peças de cerâmica indígena intáctas. Caso o local seja definitivamente estudado e confirmado como sendo um sítio de sepultamento raso (se assemelham aos que eu conheci na cidade de Urubici - SC), é preciso preservar este local o quanto antes para não se perder mais um sítio arqueológico importantíssimo no vale do rio Itapocu, pois são conhecidos e catalogados academicamente alguns sambaquis costeiros na cidade de Barra Velha e um sambaqui fluvial em Joinville onde foram encontrados nestes algumas ossadas humanas, porém, este ainda não foi estudado. Dentro do vale do rio Itapocu ouvi alguns relatos de que existiram ou ainda existem sítios de sepultamento raso ocorridos na mesma região em Rio Natal em São Bento do Sul, Bompland, Osvaldo Amaral e Rio Novo em Corupá e no Garibaldi em Jaraguá do Sul, sendo descritos com as mesmas características físicas como da foto acima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário