Blog sobre Arqueologia no vale do rio Itapocu. Criado com a finalidade de estudar e preservar o material arqueológico existente na região que abrange todo o vale do rio Itapocu, incluíndo a catalogação e conservação de acervos particulares e sítios arqueológicos ainda existentes (cerâmico, lítico, abrigo sob rocha, etc...). Todas as peças fotografadas neste blog (não foram usados escalas), são em sua maioria oríundas de descobertas aleatórias e fortuitas de seus detentores. Com este trabalho, se pretende criar em breve um Museu de Arqueologia do Vale do Itapocu pra preservar a história dos primeiros habitantes da nossa região (Homem do Sambaqui, Itararés e Guaranis). A comercialização de qualquer material arqueológico no Brasil caracteriza crime previsto em lei. Esta pesquisa será incluída no documentário e livro: Redescobrindo o Itapocu.

Observações: O idealizador deste blog e sua pesquisa sobre arqueologia não tem vínculos com órgãos públicos reguladores e fiscalizadores (FUNAI, IPHAN), instituições acadêmicas e também não participa de qualquer grupo ativista e político indigenista!

Legislação sobre arqueologia no Brasil se encontra nos links ao lado: Link 1 ou Link 2

Visite tambem o blog:
Caminho do Peabiru - Ramal Santa Catarina

Proposta da criação de um Museu de Arqueologia do vale do Itapocu no colegiado de cultura da AMVALI.

Proposta da criação de um Museu de Arqueologia do vale do Itapocu no novo colegiado de cultura da AMVALI (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu) no último dia 04 de abril de 2017. Link de acesso a matéria na imagem da foto.

Programa Cidade em Ação (06/07/2016) - TV Cidade de Joinville / SC.

Redescobrindo o Itapocu - Documentário Completo

terça-feira, 22 de abril de 2014

Acervo do Museu Sto Lat em Campo Alegre - SC.


Datação das peças: Desconhecida

Tradição: Itararé

A nova sede do museu Sto Lat ("cem anos" na língua polaca), fica atualmente na rua Alcides Medeiros Correia, número 296, na localidade de Bateias de Baixo e fica pouco mais de 15 quilômetros do centro da cidade de Campo Alegre-SC. O acesso até o museu se dá entre a bifurcação da rodovia SC-418 (antiga SC-301) com a rodovia SC-110 (Leopoldo Grosskopf) até chegar a localidade de Bateias de Baixo. Este museu que foi criado por iniciativa de alguns moradores daquela localidade cerca de 10 anos atrás, é um dos poucos da região norte e nordeste do estado de Santa Catarina onde se dedica a contar a história da colonização dos primeiros imigrantes de origem polaca que povoaram a região de Campo Alegre e imediações no final do século XIX e início do século XX.
Entre os mais diversos acervos coloniais e outras peças que se encontra neste museu, o mesmo possui um espaço dedicado a materiais líticos encontrados e doados por moradores da região de Bateias de Baixo e também de outras localidades da cidade de Campo Alegre como, por exemplo, machados de pedra de arenito (alguns destes com tacapes), mãos de pilão de granito e arenito, cavadores de terra de arenito, algumas pontas de flecha de quartzo e calcedônia e alguns fragmentos de cerâmica.
O museu fica aberto o dia inteiro pra visitação apenas no último domingo de cada mês a partir das 09 horas até as 17 horas.
Para agendar previamente uma visita nos demais dias, tem que ligar com antecedência com a responsável do museu que é a dona Eulália nos telefones: (47) 3632-7053 ou (47) 3632-7061.
Duas curiosidades sobre os estudos sobre arqueologia na cidade de Campo Alegre.
A primeira curiosidade arqueológica seria uma suposta gravura feita no lajeado de uma pedra atribuído aos índios que habitavam a região e chamado popularmente pelos moradores de Bateias de Baixo com o nome de "pé de índio". O local fica numa propriedade particular e fica no lado esquerdo de um ribeirão onde foi construído na década de 30 do século XX uma pequena represa (atualmente desativada).
A segunda curiosidade arqueológica é um trabalho acadêmico feito alguns quilômetros do centro de Campo Alegre onde foram encontrados abrigos ou estruturas subterrâneas, conhecidos popularmente como "buracos de bugre". Este levantamento arqueológico se encontra gratuitamente disponível pra visualização no link abaixo:

Discussão sobre a ocorrência de estruturas subterrâneas no alto vale do rio Negro, planalto norte de Santa Catarina

Nenhum comentário:

Postar um comentário